oilwatchlogo
 
Inicio   |   Contactar   |   Buscador
Suscríbete al RSS feed o a nuestra lista de correo
 
BRASIL - Pescador é executado em disputa por pontos de pesca na Baía de Guanabara Imprimir E-mail
Petróleo en Latinoamerica - Brasil
Martes, 25 de Junio de 2013 16:37

Osogoncalo

Mais um pescador pode ter sido morto pela disputa de áreas de pesca na Baía de Guanabara. Ontem, a vítima foi Clayton Luiz dos Anjos Medeiros, de 41 anos, que foi atingido por quatro tiros na cabeça, quando se preparava para mais uma aventura no mar, no Gradim. Ele estava preparando o barco para a partida, programada para às 15h, quando dois homens num Gol bolinha verde se aproximaram e fizeram os disparos.

O crime ocorreu por volta das 10h30. Clayton, estava num barco atracado no Rio Marimbondo, nos fundos da Rua Antônio Gonçalves Dias, quando foi chamado pelo nome. Ele desceu da embarcação e, ao se aproximar dos homens, foi atingido pelos disparos.
Os tiros chamaram a atenção dos vizinhos e moradores das proximidades. A maioria das pessoas, com medo de represálias dos criminosos, deixou passar alguns minutos para ver o que tinha acontecido.

O corpo de Clayton foi encontrado pouco depois, caído às margens do rio, junto ao muro de uma casa. Os criminosos usaram pistola calibre 9mm e podem ter levado as cápsulas deflagradas, já que nada foi encontrado no local.

O crime revoltou os vizinhos, que não entendiam o motivo do assassinato. "Não entendo como uma pessoa boa como o Clayton pode morrer desse jeito", disse uma vizinha, no momento em que o corpo era examinado por peritos do Instituto de Criminalística Carlos Éboli.

Disputa - A família de Clayton acredita que ele tenha sido morto por causa da disputa de pontos de pesca na Baía de Guanabara. Um pescador disse que retirou o seu barco daquele ponto de atracação do Rio há três anos, devido às disputas que ocorrem naquele local. "Eu sou pescador há seis anos, mas o Clayton já estava aí há muito tempo. Pouco antes estive com ele, ele estava de moto e tomamos uma cerveja no bar. Logo depois, viemos para cá. Ele foi arrumar o barco e eu segui caminhando. Pouco depois me perguntaram seu eu sabia o que tinha acontecido. Nem acreditei", contou o pescador, que preferiu não se identificar. Policiais da 73ªDP (Neves) investigam o caso.

Revolta - Revoltados, moradores da Rua Antônio Gonçalves Dias disseram que vão fazer um abaixo-assinado para pedir o fechamento da rua. "Não aguentamos mais a movimentação de pessoas estranhas aqui. Há casos até de assaltos, roubos de motos e até usuários de drogas que utilizam às margens do rio para consumir maconha e cocaína. Temos que dar um basta nisso", disse uma moradora, sem se identificar.