oilwatchlogo
 
Inicio   |   Contactar   |   Buscador
Suscríbete al RSS feed o a nuestra lista de correo
 
BRASIL - CONSTRUÇÕES SOCIAIS DA VIZINHANÇA: SEBASTIÃO FERNANDES RAULINO Imprimir E-mail
Petróleo en Latinoamerica - Brasil
Jueves, 20 de Septiembre de 2012 18:56

A presente pesquisa, de caráter qualitativo, investigou a luta entre diferentes representações dos efeitos de proximidade de grandes empreendimentos industriais e de populações residentes, considerando essas distintas representações como algo  associado às posições dos sujeitos no espaço social (empresas e seus respectivos  trabalhadores, sindicatos, moradores do entorno - especialmente representantes de  instituições nas proximidades ou que nelas atuam, tais como associações de moradores, ONGs, igrejas, centros comunitários - e membros de governo e/ou  conselhos municipais) e as experiências por eles vividas no que diz respeito às alternativas ao dilema que vêem entre consentir riscos na expectativa de obter  oportunidade de trabalho e denunciar riscos com a possibilidade de não encontrar fontes de rendimento. Para tanto, selecionou-se para estudo o caso de uma refinaria de petróleo e de uma industria química multinacional, ambas situadas na região da Baixada Fluminense. No caminho investigatório foram utilizadas entrevistas semiestruturadas, conversas, estudos de história oral, participação e registros de reuniões com os atores sociais envolvidos com a questão, além de pesquisa documental. De forma geral, observou-se que todos os atores evocaram a noção de "desenvolvimento", estando, de certa forma, "presos" a ela. Entretanto, foram observadas diferenças consideráveis na maneira como os atores concebem o "desenvolvimento", de forma mais crítica ou menos crítica. Essas diferenças na concepção do que seja e na avaliação da desejabilidade do desenvolvimento também mostram-se em relação na maneira pela qual esses atores representam riscos de forma mais ou menos crítica.

Essas diferenças parecem ter ligação com o lugar que estes agentes ocupam no espaço social; um elemento que pode ser considerado central na distinção desses agentes é a possibilidade ou a expectativa que eles manifestam de vir a ter acesso aos benefícios gerados pela presença das indústrias pesquisadas.

Desta maneira, as representações dos efeitos de proximidade de membros ou representantes de populações residentes/ instituições situadas ou que atuam nas proximidades das fábricas investigadas, em última análise, giraram em torno dos empregos gerados ou da potencialidade de gerar trabalho, embora a crítica ou a preocupação com suas atividades cotidianas - poluentes e/ou arriscadas -
estivessem presentes em quase todas as entrevistas realizadas. As representações elaboradas pela maioria dos informantes parecem indicar, assim, uma postura de consentimento, dada pela necessidade de subsistência, pela importância econômica que dão às indústrias pesquisadas para os municípios-sede ou pela aparente impotência que sentem para se opor ao projeto de desenvolvimento elaborado por empresários e governos, bem como para encontrar alternativas viáveis de subsistência e de obter recursos financeiros para as cidades em que residem. Esta situação remeteu-nos a "chantagem de localização" (que se mostraria não como algo realizado diretamente pelas empresas com ameaças de deslocalização das unidades industriais, mas aconteceria de forma "subliminar", através do medo de desemprego e da perda de arrecadação para as cidades, sentimentos alimentados pelo recurso gerencial à retórica de valorização presencial dos empreendimentos) e também a um cenário de desigualdade ambiental, quando comparamos as
condições de vida daquelas populações com a de outras no município do Rio ou de cidades/regiões da própria Baixada Fluminense.
Palavras - chave: representações - construções sociais - efeitos de proximidade - riscos - conflitos ambientais - empreendimentos industriais - desigualdade ambiental injustiça ambiental.

 

DESCARGA de DOCUMENTO:  TESE_DOUTORADO_SEBASTIO_FERNANDES_RAULINO_com_ficha.pdf 4.49 Mb